quinta-feira, 8 de janeiro de 2009

Finalmente, a recessão!

Finalmente, a recessão está aí! Parece que nunca mais desemburrava, mas agora já é pública, até que enfim! Digo isto porque, como anarquista, há muito tempo que tenho reparado que temos estado a viver em recessão económica e não tenho sido só eu a reparar nisto, como todos os cidadãos. Os únicos que têm ignorado este facto têm sido os governantes e os senhores do poder. Naturalmente, não lhes convinha dar sinais negativos à sociedade, para que esta continuasse a viver num doce engano.

Foi preciso que o Banco de Portugal fizesse o anúncio público do estado da nossa economia, para que o facto que tornasse real, palpável, face à classe política. Na terça-feira, foi divulgado o Boletim de Inverno do Banco de Portugal, que referia que o nosso país já se encontrava em recessão técnica nos últimos meses do ano passado e que, em 2009, iria entrar em recessão económica. Ao observar a imediata reacção dos políticos, este facto parecia uma novidade. Já se dizia que era preciso tomar medidas para enfrentar a situação e o próprio Teixeira dos Santos, o das Finanças, falou logo em elaborar um Orçamento suplementar para este ano.

O que é facto é que nós, os portugueses, já andamos a sentir na pele esta recessão desde há bastante tempo. As empresas fecham, o desemprego aumenta, o rendimento das famílias encolhe. Estas têm sido as realidades com as quais o povo tem vivido, independentemente de haver ou não uma recessão declarada. Não é necessário tornar público e oficial um facto que já era vivido, e bem duramente, pelas populações. O que é espantoso neste caso é que o anúncio oficial da recessão económica tenha desperto as consciências do poder. Que já sabiam do facto, bem entendido.

10 comentários:

  1. Esperemos agora que a consci~encia popular desperte também, e que a "recessão" de mentalidades de que temos vindo a padecer há longo tempo, possa finalmente inverter-se.

    Saudações do Marreta.

    ResponderEliminar
  2. Andavam distraídos e compreende-se, afinal de contas a recessão não é deles, é nossa! Para eles falar ou não falar, dizer ou não dizer, é tudo uma questão de votos.
    Um abraço mais incomodado com a consciência popular do que com o que eles dizem ou deixam de dizer

    ResponderEliminar
  3. Depertaram tarde e à más horas.
    Mas todos nós temos de mudar comportamentos.

    ResponderEliminar
  4. A mim já só me dá vontade de os mandar pró c.......
    Desculpa!
    Mas é verdade,como diz o meu pai, já não posso com esta companhia macónica!

    Beijokas

    ResponderEliminar
  5. Aí está a recessão...oficialmente, pois nós já sabíamos da sua incontornável presença.

    Um bom 20009.

    ResponderEliminar
  6. O jogo político é assim mesmo. Nada funciona com base na honestidade e na verdade, mas na dependência do marketing.

    ResponderEliminar
  7. já era duro de roer mesmo sem recessão, mas ao menos sejam coerentes e assumam a realidade; por estas e por outras é que não são toleráveis quanto mais credíveis...

    abraço

    ResponderEliminar
  8. Aqui no Brasil estão dizendo que a crise não será tão pesada quanto na Europa. Uma grande mentira, as indústrias estão demitindo muito e os sindicatos aceitaram a redução salarial para evitar demissões, porém mesmo com o acordo, as demissões continuam.

    saudações!

    ResponderEliminar
  9. Enquanto a fome aumenta para a maioria, a abundancia aumenta para meia duzia.

    Mas isto não é novidade... Isto é consequência dos caminhos que escolheram...

    De quem é a culpa?

    ResponderEliminar